Páginas

EBD da ADPAR

EBD da ADPAR

Seguidores

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Lição 02 - A Visão do Cristo Glorificado (3) - Ev Luiz Henrique de Almeida Silva


LIÇÃO 2, A VISÃO DO CRISTO GLORIFICADO
Lições Bíblicas do 2º Trimestre de 2012 - CPAD - Jovens e Adultos
“As Sete Cartas do Apocalipse — A mensagem Final de CRISTO à Igreja”.
Comentários da revista da CPAD: Pr. Claudionor Correa de Andrade
Consultor Doutrinário e Teológico da CPAD: Pr. Antonio Gilberto
Complementos, ilustrações, questionários e videos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
QUESTIONÁRIO

 
TEXTO ÁUREO
"Não temas; eu sou o Primeiro e o Último e o que vive; fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém! E tenho as chaves da morte e do inferno" (Ap 1.17,18)
 
VERDADE PRATICA
Embora humilhado e ferido de DEUS, Nosso Senhor JESUS CRISTO ressuscitou e, gloriosamente, voltará como Rei dos reis e Senhor dos Senhores.
 
LEITURA DIARIA
Segunda - Jo 1.14 O CRISTO encarnado
Terça - Lc 2.1-7 O CRISTO que se fez homem
Quarta - Is 53.4 O CRISTO ferido de DEUS
Quinta-Mt 27.17-26 O CRISTO rejeitado
Sexta - Mt 27.32-60 O CRISTO crucificado
Sábado - Lc 24.1-53 O CRISTO ressuscitado
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Apocalipse 1.9-18
9 - Eu, João, que também sou vosso irmão e companheiro na aflição, e no Reino, e na paciência de JESUS CRISTO, estava na ilha chamada Patmos, por causa da palavra de DEUS e pelo testemunho de JESUS CRISTO. 10 - Eu fui arrebatado em espírito, no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de trombeta, 11 - que dizia: O que vês, escreve-o num livro e envia-o às sete igrejas que estão na Ásia: a Éfeso, e a Esmirna, e a Pérgamo, e a Tiatira, e a Sardes, e a Filadélfia, e a Laodicéia. 12 - E virei-me para ver quem falava comigo. E, virando-me, vi sete castiçais de ouro; 13 -e, no meio dos sete castiçais, um semelhante ao Filho do Homem, vestido até aos pés de uma veste comprida e cingido pelo peito com um cinto de ouro. 14 - E a sua cabeça e cabelos eram brancos como lã branca, como a neve, e os olhos, como chama de fogo; 15 - e os seus pés, semelhantes a latão reluzente, como se tivesse sido refinado numa fornalha; e a sua voz, como a voz de muitas águas. 16 - E ele tinha na sua destra sete estrelas; e da sua boca saía uma aguda espada de dois fios; e o seu rosto era como o sol, quando na sua força resplandece. 17 - E eu, quando o vi, caía seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo-me: Não temas; eu sou o Primeiro e o Último 18 – e o que vive; fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém! E tenho as chaves da morte e do inferno.
 
PALAVRA-CHAVE – CRISTO Do hb. "messiah", ungido; do gr. christós", ungido; significa Salvador do mundo.
 
A Visão do Cristo Glorificado - Autor: Pr Josias Moura de Menezes - Divulgação: estudogospel.com.br
Apocalipse 1:12-20 
Introdução
Os versos que encontramos na passagem acima tratam de uma visão que João tem em Patmos. Deus o conduz a um estado de extase e dessa forma ele pode ver a Cristo em seu estado glorificado. Deus se revelava e ainda se revela por meio de visões para o seu povo. Nas páginas da Bíblia, encontramos inúmeros relatos de homens que tiveram visões. No livro de Apocalipse encontramos as revelações de Deus que foram comunicadas a João através de visões.   
Examinemos a visão do Cristo Glorificado.
O verso 12, diz que João escuta uma voz e ao olhar para ver quem falava com Ele, vê o filho do homem, Jesus Cristo, o cordeiro enviado por Deus. 
Mas, há um detalhe neste verso que é muito importante. Jesus é visto andando entre os 7 candelabros de ouro. No verso 22, deste capítulo aprendemos que os 7 candelabros eram as 7 Igrejas da Ásia.
 
Neste verso, Deus esta querendo nos mostra algo muito importante: Jesus Cristo é o Senhor da Igreja e esta no meio dela. Podemos dizer com certeza absoluta que Ele esta aqui neste momento. Este fato cumpre a sua palavra: “eis que estarei convosco todos os dias até a consumação dos séculos”.
 
A presença de Cristo na Igreja nos dá conforto, pois passamos a saber que nem a Igreja e nem seus membros estão sozinhos frente a tantas lutas que temos enfrentado. A presença de Cristo na igreja nos faz lembrar que Ele é o Senhor absoluto da Igreja. A Igreja não dirigida por homens, mas pelo Senhor. Nós homens apenas somos instrumentos do Senhor para conduzir a igreja, de acordo com o propósito do Senhor.
 
João vê Jesus com vestes especiais. V.13
O verso 13 nos mostra Jesus com uma veste que chegava a seus pés. No Antigo Testamento o sumo Sacerdote usava uma veste assim. Além dessa veste, Jesus é visto usando um cinturão de ouro ao redor do peito. Esta era também uma peça do vestuário do sacerdote. 
Mas, qual era a função do sacerdote? Um sacerdote representava o povo perante Deus. Ele era responsável por oferecer no lugar do povo os sacrifícios para que todos fossem perdoados e aceitos por Deus. Ele intercedia a favor do povo.
 
Ao vermos Jesus trajado com vestes sacerdotais, Deus esta querendo nos dar uma maravilhosa revelação: Jesus agora é o nosso sacerdote! Ele nos representa perante o pai, Ele fez um
 
grandesacrifício em nosso lugar diante do Pai para que pudéssemos ser aceitos e perdoados por Deus. Ele é que intercede agora por nós diante de Deus. 
Além de intercessor Ele se tornou nosso advogado. João diz em sua primeira carta, no Cap. 2:1: “Meus filhinhos escrevo-lhes estas coisas para que vocês não pequem. Se porém alguém pecar, temos um advogado junto ao
 
Pai, Jesus Cristo, o justo”. Eu me sinto muito confiante por saber que o Rei e Senhor deste universo é meu advogado.   
João vê Jesus com cabelos brancos como a lã, no verso 14.
Provérbios 16:31 diz que “o cabelo grisalho é uma coroa de esplendor, e obtém mediante uma vida Justa”. Este verso nos ensina que os mais idosos são considerados como pessoas tem uma sabedoria de vida que foi adquirida durante muitos anos. 
E aqui vai uma palavra para os mais jovens. Os mais jovens tem o vigor e a energia da
 
juventude, mas os ídolos tem a sabedoria e a experiência. 
Quando Jesus é retratado com cabelos brancos como a lã, Deus quer entendamos que Cristo tem a mais perfeita sabedoria. Sua sabedoria permitiu que Ele vivesse de forma piedosa e justa. Sua sabedoria fez com Ele seja lembrado para todo sempre por todos os povos e nações da história.
 
Este verso nos desperta para que passemos a buscar em nossas vidas a sabedoria do alto. Tiago diz no capitulo 1, que basta pedirmos com fé a sabedoria de Deus. Com esta sabedoria teremos uma vida de mais prosperidade e progresso em todas as nossas realizações.
  
 
João vê os olhos de Cristo. V.14
Os olhos de Cristo são vistos com o aspecto do fogo. Este olhar é penetrante, é poderoso, é puro. Este é o olhar de Deus para o homem. 
O olhar de Deus é amplo. Ele consegue ver todas as coisas. Nada escapa do seu olhar. O olhar de Deus é capaz de contemplar todos os recantos do universo.
 
Outro aspecto do olhar de Deus contempla o tempo. O passado, o presente e o futuro não podem passar despercebidos aos olhos de Deus. Neste exato momento posso dizer com certeza absoluta que os olhos de Deus estão sobre nós aqui neste templo.
 
Os olhos de Deus contemplam o futuro, como se o futuro estivesse acontecendo agora. Eles também contemplam o nosso passado. Eles viram o exato momento em que nós estávamos sendo gerados. Os olhos do Senhor tem acompanhado cada fase da nossa história.
 
Os olhos de Deus são capazes de transmitir sentimentos como compaixão e misericórdia. Lembra-se que um dia Jesus chorou quando viu que Lázaro havia morrido?
Os olhos de Deus conseguem ver através de paredes, montanhas e vales. Não há nada que possa limitar o olhar de Deus. E assim podemos ter a certeza que Deus pode ver exatamente o que há dentro dos nossos corações.
  
 
João vê os pés de Cristo. V.15
Os pés eram como o bronze numa fornalha ardente. Embora o Filho do Homem glorificado, estivesse vestido com uma roupa comprida, seus pés não estavam cobertos, porém visíveis como o bronze reluzente, (brilhante). 
Seus pés, estavam descalços, assim como ficavam descalços os pés dos sacerdotes durante a ministração perante o Senhor em Israel.
O brilho de seus pés resplande como o fino bronze incandescente numa fornalha, debaixo de uma alta temperatura. A idéia aqui é de um latão branco, grandemente aquecido até se tornar brilhante sendo visto por todos. Isto nos lembra do que Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo”.
 
Imagine se estes pés fossem de barro. Não seriam tão firmes. Portanto, os pés de bronze nos trazem a idéia de firmeza, e quem caminha com Cristo esta firme.
 
João ouve a voz de Jesus. V.15
Sua voz é como o som de muitas águas. É uma voz forte, e tem muita potência. É uma voz que se assemelha ao barulho de muitas cachoeiras ou das ondas do mar quando agitadas. 
É impossível não escutar esta voz, pois ela é uma voz poderosa.
 
Quando Cristo andou na terra, sua voz se fazia ouvir através de seus ensinos com autoridade e homem nenhum falou como Ele, como nos descreveu João em seu evangelho: Jo 7.46, "Responderam eles: Jamais alguém falou como este homem".
Porém algum tempo depois sua voz foi ouvida pela última vez, como um forte brado no momento cruciante na cruz no Calvário, Mc 15.37, "Mas Jesus, dando um grande brado, expirou".
 
É verdade que na cruz os inimigos do Senhor silenciaram sua voz, por meio de sua morte física. Porém, agora é diferente. Sua voz é poderosa e silencia todas as vozes dos poderosos da terra.
  
A voz do Senhor Silencia todas as palavras dos poderosos! A voz do Senhor tem o poder de mudar a realidade! 
João vê uma espada. V.16
Este verso declara que Jesus tem em sua mão as 07 estrelas. Estas estrelas simbolizam no verso 20, os anjos do Senhor. Aprendemos aqui algo muito importante: A igreja e sua liderança estão nas mãos do Senhor. 
Esta visão nos mostra que as estrelas, estão nas mãos de Jesus e da sua boca sai uma espada afiada. Jesus governa sua Igreja e seus pastores através da sua palavra. Sua palavra tem poder.
 
Paulo diz ao romanos que “o evangelho é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê”. Rm 1:16
João vê a face de Jesus. V.16
A face de Jesus brilhava com o resplendor do sol. A presença desta intensa luz nos lembra o que ocorreu com Moisés ao descer do monte. Seu rosto brilhava. A glória de Deus estava sobre sua vida. 
A face de Jesus exala a glória de Deus. Neste aspecto Jesus revela a glória do Pai.
 
A glória exibida em Cristo deve nos lembrar que devemos buscar contemplar a glória de Deus em nossas vidas. Lembremos da palavra de Jesus para Marta: “Se creres verás a glória de Deus.
  
 
Conclusão
Ao ver Cristo glorificado João cai aos seus pés. João percebe que estava de uma manifestação poderosa de Deus em sua vida. V.17. 
Esta presença poderosa de Deus na vida de João o faz se prostrar reverentemente perante o Senhor. Aprendo com este exemplo, que na presença do Senhor devemos ter reverência e temor.
 
Ao ficar prostrado, João é tocado por Jesus. Jesus lhe diz: “Não tenha medo”. O toque de Jesus reanima as forças de João, e o prepara para realizar a sua tarefa: escrever as coisas que estavam sendo reveladas por Jesus”.
 
Esta mesma palavra dizemos para você: Não tenha medo. Deus quer te usar e para isso te capacitará para realizar a tarefa.

 
Autor: Pr Josias Moura de Menezes -  Divulgação: estudogospel.com.br
 
INTERAÇÃO
O apóstolo João teve uma revelação do CRISTO glorificado. O Senhor apresentou-se ao apóstolo do amor, triunfante, poderoso e ressurreto. Tal aparição demonstra que, sob "os seus olhos [que] eram como chama de fogo" (Ap 19.12), o meigo nazareno acompanha, passo a passo, o caminho existencial de sua Igreja. João recebeu a revelação divina da trajetória histórica da humanidade e testificou a Palavra de DEUS e o Testemunho de Seu Filho, JESUS CRISTO (1.2). Portanto, nestes últimos dias, onde o culto antropocêntrico tem marcado certas reuniões eclesiásticas, devemos priorizar a exposição da Palavra de DEUS e a manutenção de um culto cristocêntrico.
 
OBJETIVOS - Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
Explicar o conceito e o objetivo da encarnação de JESUS.
Reconhecer que CRISTO é o humilhado e ferido de DEUS.
Compreender os eventos que abarcaram o CRISTO Glorificado.
 
RESUMO DA LIÇÃO 2, A VISÃO DO CRISTO GLORIFICADO
I. O CRISTO ENCARNADO
1. A encarnação.
2. O objetivo da encarnação.
II. O CRISTO HUMILHADO E FERIDO DE DEUS
A morte de CRISTO não foi entendida nem pelos judeus, nem pelos gregos.
Afinal, por que um homem teve de morrer para que os demais pudessem vir a ser salvos?
III. O CRISTO GLORIF1CADO
1. Ressurreição.
2. Ascensão aos céus.
3. A segunda vinda.
 
SINOPSE DO TÓPICO (1)
O CRISTO Encarnado, fazendo-se filho do homem, manifestou plenamente o amor de DEUS ao mundo.
SINOPSE DO  TÓPICO (2)
O CRISTO humilhado e ferido de DEUS, não foi compreendido pelos judeus e nem pelos gentios. Todavia ambos, ao receberem JESUS, pela fé, passaram a entender perfeitamente a morte e a ressurreição do Senhor.
SINOPSE DO TÓPICO (3)
O CRISTO Glorificado poder ser visto pelas Escrituras nos seguintes eventos: ressurreição, ascensão aos céus, segunda vinda e triunfo sobre as forças do mal.
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I - Subsídio Teológico
"Os títulos atribuídos a JESUS no Novo Testamento ajudam-nos a compreendê-lo em termos relevantes para o mundo no qual viveu. Eles também nos ajudam a compreender a sua natureza incomparável.
Senhor e CRISTO Que espécie de Cristologia temos em Atos 2.22-36? Pedro inicia lembrando aos judeus o poder de JESUS para operar milagres, conhecido de todos eles. Era importante. A caracterização feita por Paulo - 'Os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria' (1 Co 1.22) – é exata para os dois povos. Mas, como em qualquer afirmação confiável sobre JESUS, Pedro passa rapidamente a falar a respeito da sua morte – Ele foi crucificado, mas DEUS o ressuscitou dentre os mortos! Pedro e muitos outros eram testemunhas desse fato. Em seguida, Pedro oferece uma explicação detalhada da ressurreição e de alguns textos do Antigo Testamento que a profetizavam.
Empregando hermenêutica séria, comprova que o Salmo 16 não pode ser aplicado somente a Davi, mas certamente também a JESUS (At 2.29,31)" (HORTON, Stanley M. (Ed.). Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. 10.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007, p.306).
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO II - Subsídio Teológico
" JESUS Ascende aos Céus 0 terceiro Evangelho é concluído com a ascensão de JESUS, e o Livro de Atos inicia com a ascensão. Tudo no Evangelho de Lucas move-se em direção à ascensão, e tudo em Atos move-se a partir da ascensão. Depois que prometeu aos discípulos o poder do ESPÍRITO para eles cumprirem a missão, DEUS Pai o tomou para o céu diante dos olhos deles (vv.9-11). Em Lucas 9.51 J e s u s começou sua grande jornada a Jerusalém, de onde Ele partiria da terra. Sua jornada só se completou quando Ele alcançou o céu. Podemos definir esta jornada como o caminho para a ascensão. No monte da transfiguração, Moisés e Elias falaram sobre a partida (êxodos, 'êxodo', Lc 9.31) de JESUS. Seu 'êxodo' abrange o trânsito da terra para o céu, incluindo sua morte, ressurreição e ascensão (cf. Lc 24). Sua partida ao céu marca o fim de uma era e o começo de outra, na qual os crentes são capacitados pelo mesmo ESPÍRITO que ungiu a vida e missão de JESUS.
A medida que JESUS entrava na glória, uma nuvem o encobriu da visão dos discípulos. Eles já não o veem, mas o significado real da nuvem tem o propósito de dizer que JESUS foi recebido na glória de DEUS. A shekiná, a presença de DEUS, tinha pousado sobre a tenda da reunião nos dias de Moisés (Êx 40.34). Quando Moisés e Elias deixaram o monte da transfiguração, eles foram envolvidos com a nuvem da presença de DEUS (Lc 9.34). A nuvem naquela ocasião e a nuvem na ascensão de JESUS indicavam que os últimos dias despontaram na vida e ministério de JESUS. Ele agora parte da terra para a presença glorificante de DEUS.
A nuvem também pressagia a maneira na qual JESUS voltará numa nuvem de glória. De fato, os dois anjos que aparecem na ascensão declaram que JESUS voltará como os discípulos o viram ir para o céu visível, corporal e pessoalmente (At 1.11). O enfoque está na maneira da volta e não no tempo.
Hoje CRISTO está entronizado no céu como Rei, sentado à mão direita de DEUS. Elevado à presença de DEUS, Ele completou sua jornada e deu o passo final para sua exaltação na glória. O CRISTO, nascido de mulher, que vivia uma vida humana e morreu na cruz, agora está sentado à mão direita de DEUS. No rio Jordão, o ESPÍRITO SANTO tinha descido sobre CRISTO e tornado-o Profeta, Sacerdote e Rei ungido (Lc 3.21,22). JESUS cumpre seu ofício real na ascensão. Como Rei, Ele derramará o ESPÍRITO SANTO prometido e no fim voltará outra vez" (ARRINCTON, French L.; STRONSTAD, Roger (Eds.). Comentário Bíblico Pentecostal do Novo Testamento. 1 .ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, pp.627,28).
 
QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 2, A VISÃO DO CRISTO GLORIFICADO
Responda conforme a revista da CPAD do 2º Trimestre de 2012
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas verdadeiras e com "F" as falsas.
 
TEXTO ÁUREO
1- Complete:
"Não temas; eu sou o __Primeiro__ e o __Último__ e o que vive; fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém! E tenho as __chaves__ da morte e do inferno" (Ap 1.17,18)
 
VERDADE PRATICA
2- Complete:
Embora __humilhado__ e __ferido__ de DEUS, Nosso Senhor JESUS CRISTO ressuscitou e, gloriosamente, __voltará__ como Rei dos reis e Senhor dos Senhores.
 
INTRODUÇÃO
3- Quem se apresentou a João na Ilha de Patmos?
(    ) Foi o CRISTO glorificado.
 
4- Complete:
Aquele que no Calvário humilhara-se até ao inferno, no céu é __soberanamente__ exaltado.
Com a sua morte, Ele trouxe __morte__ à própria morte.
Por isso revela-se não apenas em glória, mas como o Senhor de toda a __glória__.
E já entronizado à destra do Pai, apresenta-se JESUS CRISTO como __Rei__ dos reis e Senhor dos senhores (Fp 2.5-11).
Sim, aquele que esteve __morto__ acha-se à direita do Pai.
E __triunfante__ virá buscar a sua Igreja (Ap 1.10-20).
 
I. O CRISTO ENCARNADO
5- Por que a encarnação é o grande mistério da piedade? (1 Tm 3.16).
(    ) Fazendo-se Filho do Homem, o Filho de DEUS manifestou plenamente o amor do Pai (Jo 3.16). E assim DEUS revelou-nos a sua graça (1 Jo 4.9).
 
6- O que foi a encarnação de JESUS CRISTO?
(    ) A encarnação foi o ato pelo qual a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade foi concebida, virginalmente, no ventre de Maria (Is 7.14; Lc 1.27).
(    ) Neste ato sobrenatural, levado a efeito por obra e graça do ESPÍRITO SANTO, o Filho de DEUS fez-se Filho do Homem, e veio habitar entre nós (Jo 1.14).
 
7- Por que afirmamos ser JESUS CRISTO Verdadeiro Homem e Verdadeiro DEUS?
(    ) Na encarnação, o Senhor JESUS CRISTO esvaziou-se não de sua divindade, mas da glória que usufruía ao lado do Pai, desde a eternidade mais remota (Fp 2.5-11).
(    ) JESUS homem não deixou de ser DEUS.
(    ) JESUS DEUS não deixou de ser homem.
(    ) Nele as naturezas: divina e humana são plenas e harmônicas.
(    ) Quem não aceita a encarnação de Nosso Senhor JESUS CRISTO não tem o ESPÍRITO de DEUS (1 Jo 4.2).
 
8- Era JESUS, então, um homem igual a nós?
(    ) Ele era melhor do que nós, pois foi achado sumamente perfeito.
 
9- Quais foram os objetivos da encarnação do Filho de DEUS?
(    ) Consumar o Plano de Salvação que, elaborado na eternidade, foi concretizado na plenitude do tempo (Gn 3.1 5; Cl 4.4; Ap 1 3.8);
(    ) Manifestar o Emanuel (Is 7.14; 9.6) para que, no Novo Testamento, exercesse plenamente os três ministérios do Testamento Antigo: profeta, sacerdote e rei; e:
(    ) Revelar no Calvário a expressão maior do amor de DEUS (Jo 3.16).
 
10- Complete:
O Senhor JESUS, por conseguinte, fez-se __Filho__ do Homem, a fim de que viéssemos a ser __filhos__ de DEUS (Jo 1.12). Em sua humilhação, exaltou- nos; em sua __morte__, reviveu-nos; Em sua ressurreição revelou-nos sua glória e eternidade.
 
II. O CRISTO HUMILHADO E FERIDO DE DEUS
11- A morte de CRISTO não foi entendida nem pelos judeus, nem pelos gregos. Por que?
(    ) Os Judeus buscavam compreendê-la através de uma interpretação equivocada da Lei e dos Profetas.
(    ) Os gregos esforçavam-se por tudo discernir à luz natural da razão.
(    ) Os Judeus a consideravam escândalo (1 Co 1.23).
(    ) Os gregos a consideravam loucura (1 Co 1.23).
 
12- Complete:
Em sua __incredulidade__, ambos os povos jamais vieram a aceitar as proposituras do Plano da Salvação. Afinal, por que um homem teve de morrer para que os demais pudessem vir a ser __salvos__? É uma lógica humanamente desconhecida. Tanto os judeus, quanto os gentios, ao receberem a JESUS, pela _fé__, passam a entender perfeitamente as implicações, temporais e eternas, da morte e ressurreição de Nosso Senhor (1 Co 1.24).
 
III. O CRISTO GLORIFICADO
13- A glorificação de CRISTO abrange quais eventos?
(    ) Ressurreição.
(    ) Ascensão aos céus.
(    ) Segunda vinda.
(    ) Triunfo sobre as forças do mal.
 
14- Qual o significado da Ressurreição de CRISTO? Complete:
Afirmou Paulo que, sem a ressurreição de CRISTO, a nossa fé seria __vã_ (1 Co 15.14,17). O apóstolo mostra, com abundantes provas, ter sido a ressurreição do Senhor um fato __histórico__ e não uma mitologia criada pelos discípulos. E foi como o CRISTO ressurreto que JESUS apresentou-se a __João__ na ilha de Patmos: "Não temas; eu sou o Primeiro e o Último e o que vive; fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém!" (Ap 1.1 7,18). É fundamental que se realce que o Senhor JESUS ressuscitou __física__ e corporalmente. Já egresso dos mortos, o Senhor JESUS recebe do Pai todo o __poder__ nos céus e na terra (Mt 28.18). Em suas mãos, as chaves da morte e do inferno (Ap 1.18).
 
15- Qual o significado da Ascensão de CRISTO aos céus? Complete:
Ressurreto, apresentou-se o CRISTO aos seus discípulos, por um período de __quarenta__ dias, falando das coisas concernentes ao Reino de DEUS (At 1.3). Em seguida, é assunto aos céus numa __nuvem__, conforme o relato fidedigno e exato de Lucas (At 1.9). Agora, à __destra__ do Pai, partilha daquela glória que sempre desfrutara ao seu lado desde a mais insondável eternidade (Jo 1 7.5; Hb 8.1). Esta também foi a visão que teve o primeiro __mártir__ do Cristianismo: "Eis que vejo os céus abertos e o Filho do Homem, que está em pé à mão direita de DEUS" (At 7.56). Portanto, o Senhor JESUS ascendeu aos céus num corpo __glorificado__, levando consigo as __marcas__ do Calvário (Ap 5.6).
 
16- Qual o significado da segunda vinda de CRISTO? Complete:
Se a ascensão de CRISTO já foi gloriosa, como não será o seu retorno para __buscar__ os redimidos? Em glória virá __arrebatar__ a sua Igreja, para que os salvos participem de toda a sua glória. Bendita seja a glória do Senhor! __Paulo__ discorre sobre o evento em duas de suas epístolas (1 Co 15.50-58; 1 Ts 4.1 3-1 7). João, exilado em Patmos, teve o privilégio de __contemplar__ o Senhor da glória (Ap 1.12-19). Em breve, muito em breve, também o veremos face a face. Aleluia!
 
CONCLUSÃO
17- Complete:
__Isaías__ viu o CRISTO humilhado e ferido de DEUS (Is 53.4). JESUS, porém, __ressuscitou__. Acha-se, agora, à __destra__ do Pai Celeste. E logo virá buscar-nos. Está você preparado para este momento?Já recebeu a JESUS como o seu Salvador? Tem convicção de vida eterna? Aceite a CRISTO, agora mesmo, para que possa __desfrutar__ da glória do Senhor de toda a glória. Como __Ezequiel__, enalteçamos a glória do Cordeiro de DEUS: "Bendita seja a glória do Senhor" (Ez 3.1 2).
RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
 
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
BANCROFT, E. H. Teologia Elementar. São Paulo, IBR, 1975.
CEGALLA, D. P. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1977.
BÍBLIA. Português. Bíblia Sagrada. Edição contemporânea. São Paulo, Vida, 1994.
McNAIR, S. E. A Bíblia Explicada. Rio de Janeiro, CPAD, 1994.
Espada Cortante 1 e 2 - Orlando S. Boyer - CPAD - Rio de Janeiro - RJ
CHAMPLIN, R. N. Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. 5. ed. São Paulo: Hagnos, 2001. v. 1
VOS, Howard F.; REA, John. Dicionário Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD, 2006.
VINE, W. E.; UNGER, Merril F.; WHITE JR, William. Dicionário Vine. 2. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2003.
GILBERTO, Antonio. A BÍBLIA Através dos Séculos. Rio de Janeiro: CPAD, 1987. HORTON, Stanley. Teologia Sistemática. Rio de Janeiro: CPAD, 1996.
Benjamin F. GUTIÉRREZ e Leonildo S. CAMPOS, Na força do ESPÍRITO, p. 286.
Peq.Enc.Bíb. - Orlando Boyer - CPAD
Introdução e Comentários de Francis I.Andersen - Sociedade Religiosa Edições Vida Nova - S.Paulo - SP
Mateus, introdução e comentário - Série cultura bíblica - R. V. G. Tasker - Editora: Vida Nova
Apocalipse - Versículo por Versículo Autor: Severino Pedroda Silva Editora: CPAD Ano: 2002
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/imagens_do_apocalipse.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao1-vemofim-ofimvemadoutrinadasultimascoisas.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao6-dlld-deuscomandafuturo.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao13-mii-3tr11-aplenitudedoreinodedeus.htm
Estudos no Livro de APOCALIPSE - Hernandes Dias Lopes
 
Fonte: A Paz do Senhor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.